Energias

No mundo existe uma coisa
O nome dessa coisa é energia
Não me refiro a energia que acende a luz da casa
Mas sim aquela que acende a luz da alma
Dependendo da forma que é usada
A mesma energia que acende, apaga
Apaga os sonhos, os sentimentos e a calma.

Essa energia pode ser positiva ou negativa,
A positiva deixa os dias melhores,
Transforma dor em alegria,
Nos tira da agonia.
A negativa deixa a vida escura,
Cheia de amargura,
Nos afoga nas nossas próprias loucuras.

A diferença entre pessoas positivas e negativas é o que elas deixam por onde passam,
As negativas, 
Deixam sua dor.
As positivas,
Deixam sua cor.

-Ana Beatriz Marques

Ânsia

Eu tenho ânsia de vida
E vivo com ânsia,
Ânsia de vômito,
Ânsia de encontro,
Ânsia de reencontro,
Ânsia de carinho,
Ânsia de seguir algum caminho,
Ânsia de ter um destino,
Ânsia de tu,
Ânsia de mim,
Ânsia de nós, 
Ânsia de ânsia,
Ânsia de vingança,
Ânsia de ser sempre uma criança,
Ânsia de me ter,
Ânsia de te ter,
Tenho ânsia de tudo,
Tenho ânsia de viver.
 
-Ana Beatriz Marques
15/02/2018 (quinta)
11:21

OLHARES

Um casal apaixonado se olha com intensidade,
A mesma intensidade que uma criança olha seu brinquedo preferido,
Uma mãe olha seu filho recém nascido com uma alegria pura, 
Olhar esse que também se aplica ao escritor olhando seu mais novo "filho" em forma de frases.

Um olhar diz tanto sem dizer nada
O olhar de desespero que não conseguimos controlar quando surge um problema,
O de raiva quando algo não sai do melhor jeito possível,
O de admiração quando vemos algo muito bonito, 
De orgulho por nós mesmos e pelas pessoas que amamos.

Enfim, olhares não faltam
Na verdade, na falta de olhares, o que faríamos?
Eles nos despem de uma forma as vezes ingênua (ou nem tanto)
Vivemos de olhares
Eles são a linguagem da alma.

-Ana Beatriz Marques 
08/08/17 (terça)

Parei pra pensar

Parei pra escutar,
Preferia ser surda.
Parei pra falar,
Preferia ser muda.
Parei pra ver,
Preferia ser cega.

Pra certas coisas preferia não parar,
Em certas ruas preferia não entrar,
Certos textos preferia não ler,
Muitas certas coisas, erradas parecem ser.

Existem certos sentimentos que preferia não ter,
Mas o que seria de nós sem de vez em sempre se perder,
De vez em nunca se achar,
Parei pra pensar,
E preferia ter corrido,
Ver o mundo em movimento é mais bonito,
Ou talvez nem seja,
Pode ser só meu eu lírico mostrando que está vivo.

-Ana Beatriz Marques
28/05/2018 (segunda)
07:58

SINFONIA UNIVERSAL – A Cosmovisão de Teilhard de Chardin

Autor: Frei Betto

Editora Vozes, 2011.

 

Durante muitos anos a fé e a ciência sempre divergiram em diversos assuntos, sendo consideradas por muitos como água e óleo, dois opostos que jamais se misturam.  Uma prova disso é que sempre que alguém diz que é cientista, nos vêm à cabeça o questionamento “humm, será que é ateu/ateia?”. E se eu te dissesse que existe uma chance remota de unir a religião e a ciência, o que me diria? Imagino que você ficaria surpreso (a), claro que dificilmente isso aconteceria por diversos motivos que não há tempo e nem espaço para explicar todos aqui, entretanto algumas obras já tentaram dar início a esse processo de “união”, algumas delas pertencem ao padre jesuíta, teólogo, filósofo e paleontólogo francês Pierre Teilhard de Chardin, que viveu entre 1881 e 1955.

 

Esta obra de Frei Betto focaliza exatamente nisso. Aproveitando as teorias de Teilhard de Chardin, ela as reescreve resumidamente ao mesmo tempo em que produz uma série de reflexões sobre nossas condições humanas no cosmo, encontrando pontos comuns entre ciência e fé, como duas dimensões essenciais e que são complementares uma da outra. Sinfonia Universal realiza um diálogo envolvente com o leitor, levantando algumas questões importantes no decorrer de seus capítulos como “haveria vida além da Terra?”; “Não basta ter olhos, é preciso ver”; “crescei, multiplicai e… socializai-vos!”. Além disso, o livro ainda traz fatos históricos e curiosos sobre o avanço das ciências, sobretudo da cosmologia. Aqui vai o meu trecho favorito:

Em 1609,o físico italiano Galileu Galilei mandou para o museu das ideias a teoria aristotélica-ptolomaica, ao mirar o céu estrelado através das lentes de uma luneta que aumentava 33 vezes os objetos. Ao observar Saturno, verificou que pequenos satélites giravam à sua volta. Isso punha por terra a hipótese de que os astros giravam obrigatoriamente em torno do nosso planeta.(…) Desta vez quem não gostou foi o príncipe de Florença. Desconfiado, perguntou a Galileu se ele, com sua luneta, havia visto Deus lá encima. “Não”, respondeu o cientista italiano. “Então como quer que eu acredite em suas teorias?”, retrucou Sua Majestade. “Ou Deus está no coração humano, ou não se encontra em lugar nenhum”, replicou Galileu.

Esse texto agradável e atraente é um convite a todos (as) que pretendem compreender nossa importância nesta “Viagem sem volta” que é a vida.

Pôr do sol

Ali distante

Bem depois do mar

Aquele pôr do sol

Brilhando avermelhado

Me diz que tudo ainda é possível

Que o sol está indo

Mas que amanhã vai voltar

E que tudo é um ciclo

Com seus começos

Meios

E fins.

 

Autora: Lany

A vida após

Passei toda a madrugada
Cavando meu jardim desesperadamente
Para tentar chegar ao núcleo da Terra
Estudei toda minha vida
Que não há lugar mais quente que lá
Pelo menos por perto
Até agora não encontrei uma sensação
Que me consumisse completamente
Que me deixasse sem saída, sem opção
Fizesse aquecer cada milímetro da minha pele
Me fizesse perder a razão
E finalmente
Descobrir o que a humanidade não sabe

Ana Karolina de Melo Paiva (yo) 25/08/2009

 

Link da postagem original: https://karolinaaloks.blogspot.com/2009/08/vida-apos.html?m=1