Resenha Duplo Eu

DUPLO EU
Autora: @navielavraie
Ilustrações: @audreynalley
Tradução: @renatasilveira4
Editora: @editoranemo

Duplo Eu conta a história pessoal da Navie em relação ao seu peso e como ela lidou com isso com o passar do tempo. Ao ir a uma nutricionista-psicóloga que disse que a obesidade que tinha era como carregar uma mulher da mesma idade nas costas, Navie criou, ou melhor, visualizou uma companheira de vida. No decorrer da história é contada a convivência das duas, como o duplo aos poucos foi “assassinado” e as consequências disso.

Essa graphic novel mexeu muito comigo e mais ainda porque eu precisava dela para me ajudar e estimular no pensamento balanceado de aceitação/desejo de mudar. Eu sei, é um pouco confuso até pra mim, mas ver meu problema contado em quadrinho, que é um dos meus formatos favoritos de leitura, foi muito reconfortante e inspirador. Sou muito feliz por ter amigas que me conhecem tão bem porque o timing da Clara foi perfeito. Me sinto grata!

Para finalizar, está totalmente recomendado, tendo você ou não problemas com seu corpo. A arte é maravilhosa e amei o laranja entre o preto do traço e o branco do papel, mexeu ainda mais comigo porque minha cor favorita é laranja.

Vegetal

Eu descobri que força, é vontade
Agora quero ser feliz
Mesmo que o desgosto suba cada vez mais
Como xilema na planta que me tornei
Sou a prévia de tudo que vai acontecer
Com forma sólida quis te possuir
E já estou pronta
Você sorri e eu choro
Não ia aguentar ver de forma clara
Tratei de imediatamente desenhar situações
Para não cometer crimes
Do sentimento que me tira a razão
Chuto todos os potes de ouro
Bato palmas pra delicadeza
Volto pra casa
Choro sorrindo no ombro amigo
Tremula, sem saber o que sentir
Cavo um buraco na terra molhada do jardim
Ponho as mãos e os pés
Caio num sono agitado de lembranças
Desejos realizados de forma contorcida
Ficando dependente da caridade rara de alguém
Que fique contente em me ver corada e viva

 

Ana Karolina de Melo Paiva em 20/06/2010

Por ontem, é só

Hoje eu vou ser feliz
Levar minha vida de forma leve
Mesmo que a felicidade não me satisfaça
Perder a vergonha de fazer algo diferente
Cortar o medo pela raiz
Quero ser mais infantil
Amar todas as pessoas
Andar na rua com os olhos fechados
Ser educada com o próximo
Deixar a música me consumir
Sorrir para as faces feias
Acreditar num príncipe encantado
Desenterrar minhas velhas e sujas bonecas de pano
Dar um banho em Sophie, o presente mais querido, a de porcelana
Ler as cartas com sentimentos que não existem mais
Rodar pelo quarto como se estivesse na hora do recreio
Fazer dodói e chorar no colo da freira mais querida
Hoje, eu quero lembrar que fui uma criança
E me inspirar em como resolvi sozinha meus problemas infantis
Quero ser a de ontem, por hoje.

Ana Karolina de Melo Paiva em 21/05/2010 (modificado em 03/10/2019)

December Monday Man (Moço da Segunda de Dezembro)

Hey italian man
(Olá moço italiano)
You leave me here with your indie songs
(Você me deixou aqui com suas músicas indie)
I wasn’t enough to you
(Eu não fui suficiente para você)
So, I hope my feelings may be
(Então, espero que meus sentimentos possam ser)
 
Your hands autographed my life
(Suas mãos autografaram minha vida)
Those hands that always make me remember your way to be
(Essas mãos que sempre me fazem lembrar seu jeito de ser)
It was just a short moment but the songs are forever
(Foi apenas um curto momento mas as músicas são para sempre)
And them will turn me back to you everytime the radio is on
(E elas vão me fazer voltar para você toda vez que o rádio estiver ligado)
 
I’m confused, yes, you were right
(Eu estou confusa, sim, você estava certo)
You predicted my future and I think you make it to everyone else
(Você previu meu futuro e eu acho que você faz isso com todo mundo)
Feelings chose a bad time to appear
(Sentimentos escolheram um momento ruim para aparecer)
Crushing my breath and making me want to return to your bed
(Me sufocando e me fazendo querer voltar para sua cama)
Ana Karolina de Melo Paiva em 17/12/2014

Por fim

O silencio expulsou a pureza de casa

Ameaça de tristeza instalada

Crianças chorando em suas fases

                                                                                              Fazem os adultos terem vantagem

Os espelhos examinam as cortesãs

Sorrisos doces de assustadas felinas

Tudo sempre nessa rotina

Tão igual que sempre varia

Aprendendo com terrores

Conheceu todos os sabores

Sempre por si

Tem histórias pra distribuir

Fala de vida, de cores

Bichos, morte e amores

Pecou na capital

Quis fugir para o quintal [que não tinha!]

Sim ela sabe mentir

Sensações, palavras e afins

Para que suas verdades pudesse omitir

Chorou só, vive só, amará só

Só assim a paz se instala

E pelo perigo ela possa passar.

 Ana Karolina de Melo Paiva

Resenha Lady Killer (Graphic Novel)

 

 

Esse quadrinho é fantástico! O traço lembra muito os anúncios dos anos 50/60, justamente a época em que a história se passa.

Josie é agente de uma empresa que realiza trabalhos sujos e ao mesmo tempo tenta levar uma vida de dona de casa normal. Porém seu chefe encucou com a ideia de que o lado romântico da vida de Josie, em algum momento, iria interferir nos negócios da empresa, o que de fato acontece e coloca a agente em problemas.

Entretenimento certo, com uma oscilação bem planejada entre momentos de ação e do dia-a-dia, pulos temporais coerentes, a personagem é muito atraente pela sua personalidade sedutora e calma, além da edição da Darkside ser um escândalo de linda. Adorei que a Tori Telfer introduz a história, super combinou, porque muita gente deve ter imaginado que Lady Killer iria ser uma versão em graphic novel das histórias das assassinas em série de Lady Killers (o que não seria uma má ideia, passa aí pra Tori, Darkside), então mesmo não sendo, existe essa comunicação que torna tudo mais cheio de significado.

No mais, amei!

Resenha Lady Killers – Tori Telfer

 

Esse é um livro cruel?! É! Mas é aquele tipo de livro que te mostra que mesmo no reconhecimento de atos terríveis, as mulheres são discriminadas pela história. Grande parte dos casos e das assassinas em série aqui presentes não eram do meu conhecimento. Então é um livro que adiciona informações ao seu conhecimento sobre a história criminal que o mainstream acaba ignorando.

Amor Fugaz

Hálito de menta
Sorriso, me entenda
O prazer de ser lenda

Dissolvem no mar luares
Porém prefiro o fim das tardes
Quando tu com tua crueldade
Fixa em mim teu olhar

Um abraço vazio
E eu, pobre menino
Fico cheio de lálárilá

As ruas parecem desertas
Quando eu sem pressa
Passo para tentar te achar

Queria eu ver as cores
Ouvir as músicas
Sentir os sabores
Que contigo, meu doce podre
Cavaleiros valentes
Conseguiram vitórias alcançar

Mais usada que o banco da praça
Não entendo ainda que graça
Eu sinto ao te ver passar

Não te amo como amante
Fico frio
Boneco andante
Tão seguro como de ti antes
Calmo e sábio
Mas sem falar

A noite tenho café da manhã de rei
Tomo banho de bica
Contando até três
E preso na esperança
De que quiçá um dia
Irei ser vítima desse teu amor fugaz

 

Ana Karolina de Melo Paiva em 11/09/2009

Link da postagem original: https://karolinaaloks.blogspot.com/2009/09/amor-fugaz.html

Carta para meus 12 anos

Eu te conheço mais que qualquer pessoa
Não chore
Eles não merecem suas lágrimas
Por mais que você os queira por perto
Sempre lamentam quando você se aproxima
Menina, eu estou pedindo, não chore
Eu sei o quanto te fizeram sofrer
Eu entendo bem o que você sente
Amor, não fique assim
Minha criança, não se importe
Vai passar
Eu posso te garantir
E vai valer a pena
Agora, eles gostam de mim
Eles até precisam de mim
Sou tão feliz, meu bem
Você vai ser assim
Igual a mim
Aguente firme e forte
Eu sei que você pode
Não acredite quando te chamam de feia
Eles te convenceram disso
Mas você não é
Eu te acho linda
E eu sei que você é interessante
Sempre que precisar de alguém
Pense em mim
Eu sinto você
Mais do que possas imaginar
Você está em mim
Nos meus pensamentos
E nada pode mudar isso
Eu quero tanto te abraçar
Mas só consigo escutar seus soluços
Nas minhas lembranças tristes
Eu sempre estarei perto
Por mais que você se sinta só
Feche os olhos e pense em mim
Sempre, sempre estou presente
Eu te amo, pequena gigante
Não esqueça, meu orgulho.

 

Ana Karolina de Melo Paiva em 14/09/2009

Link do post original: https://karolinaaloks.blogspot.com/2009/09/carta-para-meus-12-anos.html

Baixa autoestima

Ontem?
Eu lembro de ter corrido pelo parque
Sabido o perfume das flores
Comido todos aqueles doces
E divulgado meus amores
Hoje?
Pervivo na esperança
Convivo com crianças
Quedo-me na lembrança
De quando tinha confiança.

Ana Karolina de Melo Paiva em 28/08/2009

Link da postagem original: https://karolinaaloks.blogspot.com/2009/08/baixa-estima.html?m=1