Ensaio sobre a saudade

Qual o tamanho de uma dor interminável?

Qual a equação para definir o comprimento de um sofrimento?

Qual é a fórmula para anular uma tristeza sem fim?

São anos…

São meses…

São dias…

Noites…

Lamentações…

E uma pergunta sem resposta…

“Porque você se foi?”

Sinto como se fosse agora, neste  exato momento:

Meu peito se corroendo.

Se convertendo em um poço de lagrimas que não seca.

Um desespero que me sufoca, inibe minha respiração.

Algo inexplicável…

Decepção, aflição, perdição, lágrimas, raiva, tristeza, sofrimento, dor, separação, término…

Como descrever algo indescritível?

Como remediar algo que não é doença, mas ausência?

Saudade que só aumenta, resposta que não vem, ficha que não cai, realidade em que não se acredita…

Os dias passam, as lembranças sobre você se perdem, os sorrisos desaparecem, os planos se dissolvem.

Como simples grãos de areia esparramados sobre a praia, como uma estrela no meio de outras milhares em uma galáxia a incontáveis anos-luz da percepção humana…

De repente…

Cinzas…

Sem volta…

Sem nova chance…

Sem adeus…

Sem expectativa…

Nada…

FIM.

Deixe uma resposta