O que falar sobre Riordan?

Uma discussão em torno de Percy Jackson

Para começar a conversa, queria saber o que vocês acham das relações intertextuais entre de textos modernos e antigos. Acho que não dá para negar que o Percy Jackson, de Rick Riordan, é um expressivo exemplo de literatura com uma grande carga de intertextualidade. Quem conhece a série deve saber que Percy é um semideus e que, bem como Perseu, é filho de Poseidon. Enquanto semideus, Percy, assim como Harry Potter, precisa desenvolver suas habilidades de heroi, então, ele vai a um lugar, que paralelamente a Hogwarts, o auxilia com isso. Não é essa a única semelhança entre os queridinhos das séries de fantasia: bem como o bruxo de Rowling, o semideus de Riordan possui dois amigos com quem pode sempre contar, Percy tem Grover, um sátiro e Annabeth Chase, outra semideusa, filha de Atena. Como Percy, Annabeth tem dislexia. Será isso por acaso? Acho que não, e você? No primeiro livro da série, “O ladrão de raios”, Percy é suspeito de roubar um raio de um deus muito poderoso. Daí em diante, ele se envereda com os amigos em uma aventura cheia de perigos e de referências mitológicas. E o melhor, (ou não, pois é você quem vai dizer), é que tudo se passa na atualidade, nos Estados Unidos. E aí, você já leu algum livro ou capítulo da série? Como foi? Quais são as suas críticas à obra de Riordan? #Percyeosolimpianos #mitologia #série #literatura

Espalhe isto!

5 thoughts on “O que falar sobre Riordan?

Deixe uma resposta