PRIMAVERA LITERÁRIA RIO 2019

“Primavera Literária Rio 2019” no Museu da República

Começou nesta quinta-feira, 03/10, e vai até domingo, 06/10, das 10h às 20h, a Primavera Literária Rio 2019, no Museu da República, Rio de Janeiro. É uma feira de autores e editoras independentes organizada pela Libre, Liga Brasileira de Editoras, desde 2002, e chega na sua 19ª edição com o lema Equidade, Sustentabilidade e Bibliodiversidade. “A Primavera Literária Rio levará para o público carioca, além da sua tradicional feira de livros, uma intensa programação cultural. Conhecida por sua pluralidade temática, o evento este ano não poderia deixar de inovar: uma Rua do Desenho e um Bar Literário com shows irão ocupar os jardins do Museu da República, espaço que recebe mais uma vez o evento”, relatam os organizadores.
A 19ª Primavera Literária Rio de Janeiro é uma realização da LIBRE e conta com o apoio institucional do Museu da República, apoio de mídia da PublishNews, Agência ONZE – UVA Barra e gráfica parceira Forma Certa.

ENDEREÇO: Rua do Catete, 153, Catete, Rio de Janeiro/RJ. Entrada gratuita.

7 livros engraçados para quem gosta de ler e dar boas risadas

1. Holy Cow: Uma Fábula Animal

Resultado de imagem para 1. Holy Cow: Uma Fábula Animal

Autor: David Duchovny
Ano: 2016
Editora Record

Lembra do Fox Mulder, da série “Arquivo X”? Pois seu intérprete decidiu mostrar todo seu talento e humor ao contar a fábula de uma irreverente vaca chamada Elsie Bovary, que é também a narradora da história. A heroína quadrúpede tem uma revelação na casa da fazenda onde vive que deixa seu mundo de cabeça para baixo. Elsie convence um porco e um peru a fugirem dali em busca de um mundo mais seguro. Daí segue uma sequência hilária que envolve passaportes falsos, bichos disfarçados de seres humanos  e personagens espirituosos que falam sobre aceitação entre seres de espécies diferentes.

 

2. Azul da Cor do Mar

Resultado de imagem para 2. Azul da Cor do Mar

Autora: Marina Carvalho
Ano 2014
Editora Novo Conceito

O romance conta a história da atrapalhada Rafaela Vilas Boas, que se vê realizando seu sonho de trabalhar na grande imprensa ao arrumar um estágio no jornal Folha de Minas. Porém, ela tem um pequeno problema chamado Bernardo, um colega de trabalho que não vai com sua cara. Alguns furos de reportagens e outros desastrinhos pelo caminho, e estabanada Rafa se vê buscando se livrar de uma obsessão da adolescência que mora na figura de um rapaz de mochila xadrez.

3. Cadê Você Bernadette?

Resultado de imagem para 3. Cadê Você Bernadette?

Autora: Maria Sample
Ano 2012
Companhia das Letras

Essa é uma divertida história de mãe e filha! Bee passa o livro tentando descobrir quem é de fato sua mãe Bernadette Fox e onde ela está, já a personagem desaparece do mapa após se ver obrigada a fazer uma viagem em família para a Antártida. Esse é o segundo livro da norte-americana Maria Samples. Não espere sentimentalismo barato dela, ok?

4. Galvez, Imperador do Acre

Resultado de imagem para 4. Galvez, Imperador do Acre

5. O pau

Resultado de imagem para 5. O pau fernanda young

Autora: Fernanda Young
Ano 2009
Editora Rocco

A hilária Fernanda Young usa do seu já famoso humor nonsense para falar sobre a vingança de uma designer de joias bem-sucedida chamada Adriana. O motivo da desforra é uma traição cometida pelo namorado 14 anos mais jovem. Pelo título do livro, já dá pra imaginar qual é o foco da represália de Adriana. De forma hilária, a autora ironiza a teoria de Freud sobre a inveja feminina do falo. Bem, Fernanda Young…

6. Meu Coração de Pedra-Pomes

Resultado de imagem para 6. Meu Coração de Pedra-Pomes

Autora: Juliana Frank
Ano 2013
Companhia das Letras

Com muita sagacidade, a escritora brasileira retrata a rotina detestável de
Lawanda, encarregada da limpeza de um hospital e colecionadora de besouros. Como sua renda não é suficiente como faxineira, ela faz alguns serviços escusos aos pacientes. Paralelamente, ela faz macumbas como costurar borboletas em sua calcinha para que seu amante José Junior fique com ela. O romance é desbocado e não-convencional, ideal para quem não aguenta mais ler histórias de amor água com açúcar e quer dar umas boas risadas.

7. Como Ser Mulher – Um divertido Manifesto Feminista

Resultado de imagem para 7. Como Ser Mulher - Um divertido Manifesto Feminista

Autora: Caitlin Moran
Ano 2012
Editora Paralela

É com um humor escrachado que a jornalista inglesa Caitlin Moran responde a perguntas desde o nome ideal pra batizar aos próprios seios até se os homens odeiam as mulheres pra valer “no fundo, no fundo”. Ela aborda esses temas como se estivesse papeando com um amigo e faz reflexões com uma língua afiadíssima, porém, sofisticadas!

AS 10 PIORES ADAPTAÇÕES DE LIVROS PARA AS TELONAS!

Imagem de capa do item

A Bússola de Ouro

Logicamente, quando se adapta um livro para um filme não se podem incluir todos os detalhes da trama, mas Chris Weitz enfureceu os fãs ao retirar, completamente, os últimos capítulos da obra original.

Além disso, o tempo de tela de cada personagem foi extremamente mal administrado. Existem desenvolvimentos excessivos, enquanto personagens carismáticos não são explorados. Fica difícil se apegar a determinados personagens, mesmo que o roteiro acabe forçando isso.

A batalha final também foi frustrante para os fãs. O embate épico, que imaginamos enquanto líamos o livro, se transformou em uma briga noturna. Na verdade, em algumas cenas, fica até difícil entender o que está acontecendo.

Apesar de tudo, para quem não leu o livro, A Bússola de Ouro ainda consegue ser interessante.

Imagem de capa do item

Eragon

Eragon não é nenhuma grande obra-prima da literatura mundial, mas é um livro extremamente divertido, voltado para o público jovem e que consegue envolver o leitor com seu universo de fantasia bem desenvolvido.

A adaptação cinematográfica pecou em diversos aspectos. Personagens importantes foram deixados de fora, o roteiro foi desenvolvido de maneira previsível e a caracterização deixou a desejar.

O filme foi tão mal recebido por público e crítica que suas continuações foram canceladas.

Imagem de capa do item

Percy Jackson e o Ladrão de Raios

Estrelado por Logan Lerman, o filme de Chris Columbus adapta a consagrada saga adolescente de Rick Riordan.

Infelizmente, a franquia acabou ficando à sombra de Harry Potter e não conseguiu conquistar o grande público, mesmo que tenha um excelente elenco de apoio e uma temática interessante.

Os fãs também ficaram decepcionados com a quantidade de elementos alterados da obra original. Sua sequência, O Mar de Monstros, conseguiu ser tão criticada quanto o primeiro filme.

Pelo menos, o filme conseguiu despertar o interesse de parte do público em conhecer a obra original.

Imagem de capa do item

Guerra Mundial Z

Apesar de ter conquistado uma legião de fãs tão grande quanto as intermináveis hordas de zumbis presentes no filme, Guerra Mundial Z não tem absolutamente nada a ver com a obra original!

Logicamente, alguns personagens e tramas foram retirados do livro de Max Brooks, mas sua essência foi completamente alterada.

No filme, vemos a luta da humanidade para combater e controlar a praga dos zumbis. O livro se centra muito mais nas relações humanas e em como a sociedade se comporta diante da presença dos zumbis.

Vemos como o governo americano permite que um cientista enriqueça com base no desenvolvimento de uma falsa cura para a epidemia zumbi. Acompanhamos a África lutando para salvar o maior número de pessoas, enquanto milhões morrem nos campos de refugiados.

Guerra Mundial Z trata-se da natureza humana e de suas relações e não de uma luta contra zumbis.

Mesmo assim, o filme ainda é excelente, mas, se formos considerá-lo como uma adaptação, aí sim deixa muito a desejar.

Imagem de capa do item

Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos

O grande problema de Cidade dos Ossos é o tanto de tramas deixadas em aberto, o grande números de detalhes que ficaram sem explicação, além da extrema forçação de barra em romances com os quais não conseguimos sentir empatia.

A adaptação começa muito bem e possui uma produção, tão impecáveis quando os efeitos visuais. O problema é que ela se perde em meio ao roteiro e não consegue convencer, como a saga literária o faz.

Cidade dos Ossos não é um dos piores filmes do mundo, mas também está longe de ser bom.

Imagem de capa do item

As Viagens de Gulliver

Jack Black é um ator engraçado e um músico talentoso, mas nem todas as suas obras funcionam… As Viagens de Gulliver é uma prova disso!

O filme tentou dar uma nova roupagem ao clássico de Jonathan Swift, mas as piadas extremamente infantis e as soluções para os problemas foram detonadas pela crítica e deixaram o público com uma imensa “vergonha alheia” nas salas dos cinemas.

Imagem de capa do item

O Grande Gatsby

A adaptação do clássico de F. Scott Fitzgerald estrelada por Leonardo Di Caprio é impecável em sua produção.

A trilha sonora é magnífica, os efeitos visuais são fantásticos e o figurino é extremamente condizente com a obra original. Infelizmente, todo o resto destoa completamente da obra em que foi baseado.

Uma das principais críticas do público foi o fato do livro se focar na história de Nova York dos Anos 20, enquanto as filmagens foram feitas na Austrália.

Além disso, ficou parecendo que a produção priorizou o aspecto visual da obra e acabou deixando o roteiro de lado.

Imagem de capa do item

A Letra Escarlate

Eis a primeira regra ao se adaptar um clássico da literatura: “Não mude o final!”

A adaptação de 1995 possuía em seu elenco nomes como Demi Moore e Gary Oldman, mas mesmo assim conseguiu decepcionar.

O filme foi um tremendo fracasso de bilheteria e extremamente massacrado pela crítica. Um dos principais pontos baixos foi o final feliz ao “Estilo Hollywood”, o que rendeu diversas indicações ao Framboesa de Ouro.

A simples alteração do final conseguiu deturpar toda a essência da obra original e A Letra Escarlate tornou-se um dos filmes mais odiados dos Estados Unidos.

Imagem de capa do item

Alice No País das Maravilhas

Na San Diego Comic-Con de 2009Tim Burton disse que queria fazer uma versão diferente de tudo o que havíamos visto com relação à obra de Lewis Carroll.

“Assistindo às outras versões da obra, jamais consegui sentir qualquer conexão emocional por ela. É sempre só uma garota vagando de um personagem bizarro para outro.”

A crítica do diretor se aplica diretamente à sua própria adaptação. Alice no País das Maravilhas dividiu o público. Há que ame e quem odeie, mas, logicamente, deturpou completamente a obra original.

Apesar de ser uma releitura do clássico de Carroll, o filme é muito mais focado na trama do Chapeleiro Maluco e acaba deixando a personagem que dá título à obra de lado.

Mais uma vez, uma obra visual impecável, mas que deixa a história a desejar.

Imagem de capa do item

O Guia do Mochileiro das Galáxias

O Guia do Mochileiro das Galáxias é uma grande obra de ficção-científica e comédia da história da literatura.

Publicado em 1979, o livro se transformou em uma verdadeira Bíblia Sagrada dos Nerds e sua adaptação era extremamente aguardada pelos fãs.

Mesmo com nomes como Martin FreemanZooey DeschanelBill Nighy e Sam Rockwell no elenco, o filme conseguiu ser um desastre de bilheteria e crítica.

A saga é tão grandiosa e cheia de detalhes que, de fato, seria impossível adaptar toda a obra em apenas um filme. Obviamente, a produção falhou miseravelmente em levar o livro para as telonas e nem mesmo as piadas das páginas funcionaram no cinema, deixando os fãs com um terrível sentimento de decepção.

Fonte: https://legiaodosherois.uol.com.br/lista/as-10-piores-adaptacoes-de-livros-para-as-telonas.html#list-item-10

 

8 séries baseadas em livros

Resultado de imagem para series séries baseadas em livros

 

5 livros polêmicos!

Eutanásia: Nada Dura para Sempre – Sidney Sheldon

Kat, Betty e Paige são as únicas mulheres em um grupo de médicos residentes de um hospital de São Francisco. Além de trabalharem juntas, elas dividem o mesmo apartamento e protagonizam situações, no mínimo, insólitas. Mas o grande envolvimento da narrativa se dá porque uma delas, acaba perdendo um de seus pacientes e é acusada de assassinato, quando na verdade, foi o paciente que pediu para que ela o matasse, em função do grande avanço da sua enfermidade e por não ver a cura para isso. O livro é muito envolvente e a verdade só aparece nas páginas finais, mas a reflexão que se dá sobre o tema, é extremamente intensa. Mega recomendo a leitura.

Bipolaridade: Dançando Sobre os Cacos de Vidro – Ka Rancoulk

Este foi um dos melhores livros que eu já li na minha vida e esse livro foi responsável por eu nunca mais usar o termo “bipolar” de forma leviana. No enredo, temos a Lucy, casada com o Mike e ele é bipolar. O livro fala da dificuldade da doença do Mike e explica como essa doença acontece dentro do cérebro das pessoas que a tem. Não é só uma questão de humor ou uma variação da depressão. A forma como a autora nos explica esse processo na vida do personagem, nos leva a entender que o assunto é muito sério e que a doença deve ser respeitada como qualquer outra e não motivo de piada.

Suicídio: Reconstruindo Amelia – Kimberly McCreight

Muitos livros atualmente tem abordado este tema e alguns livros são até melhores que este aqui, porém, seria um tremendo spoiler citar alguns. Escolhi este porque o livro, já nas páginas iniciais, sabemos que a Amélia se jogou do alto do prédio do colégio e então, a mãe dela, passa a entender como foram os últimos dias da filha e os motivos que levaram a filha a fazer o que fez. Eu gostei muito desta história e acredito que a leitura deste livro, abriria uma boa oportunidade de reflexão entre os adolescentes sobre este assunto. Suicídio é aquele tipo de tema que algumas pessoas acreditam que se não conversarmos sobre isso, isso deixará de existir, e na verdade, isso é uma grande mentira.

Pedofilia: Lolita – Vladimir Nabokov

Este livro traz um homem de 50 anos apaixonado por uma garota de 12. Ele chega a se casar com a mãe da menina para poder se aproximar da garota e sim, ele acaba se envolvendo fisicamente com ela e criando uma relação erótica e de dependência com a menina. Eu li este livro tem  muito tempo e lembro que eu fiquei muito chocada com a situação. Sinceramente, não acho normal ou aceitável o que aconteceu na trama e para mim, o homem era um pedófilo. Porém além disso, o livro traz o tema para que possamos refletir e a discussão do tema, pode nos levar a entender a situação e identificá-la quando ela acontecer próxima a nós.

Incesto: Proibido – Thabita Suzuma

Acho que este é o tema mais polêmico de todos em função da desconstrução que é necessário fazer na nossa cabeça, para poder aceitar a situação que o livro propõe. Em primeiro lugar, eu ainda não li o livro, mas de tantos comentários e debates, poderia contar a história inteira. O livro conta sobre dois irmãos que se apaixonam, após um bom tempo cuidando dos irmãos menores e fazendo o papel de pai e mãe dentro de um lar totalmente disfuncional. Pretendo ler o livro em breve, mas este é o único que eu conheço que faz esta abordagem.

#sorteio

⚠️ PRIMEIRO SORTEIO DO IG ⚠️ Olá, amores! Em comemoração aos 100 seguidores do IG, resolvi fazer um sorteio super especial, para as autoras das plataformas online! Vamos lá!

Premiações:

1 capa para Wattpad (Dependendo do caso, pode ser para outras plataformas também)
Arte para marcadores

Revisão da história

Banner de divulgação para redes sociais

Resenha da história no IG 💌 Como participar?

Siga as regras: 🔺Seguir a foto oficial (Essa aqui!) 🔺Seguir os IG’s parceiros:
@eillishy
@loreninhaf
@gisalivrosfantasticos 🔺Marcar dois amigos nos comentários, quantas vezes quiser.

O sorteio acontecerá dia 08/10/2019, boa sorte a todos! 💜

#sorteioliterário
#sorteios
#livros
#books
#ebooks

SORTEIO

Olá pessoal!

Novidade na área. O Clube do Gueto está promovendo um sorteio de um super livro. E para participar é só dar uma olhada no @ClubedoGueto no Instagram.
Se você ainda não segue o Clube do Gueto essa é a hora!
O livro é o Dom Quixote, de Miguel de Cervantes (1605), clássico da literatura mundial. O texto foi adaptado a uma linguagem mais contemporânea e o sorteio será dia 14/09/2019.
Participem!

Espalhem a notícia!

CHAMADA para Antologia de TERROR PARAENSE

Uma das mais recentes editoras que surgiram no cena paraense – a Pará.grafo editora – está trazendo uma chamada para a inscrição de material inédito no gênero conto-terror. Uma ótima oportunidade para jovens (ou nem tanto assim) escritores divulgarem seus trabalhos.

Texto retirado do instagram da editora:

Iniciaram as inscrições para a antologia de contos TERROR NA AMAZÔNIA. 🕷☠️👹🧟‍♀️
.
Participe! As inscrições vão até o dia 20 de agosto de 2019. Veja o regulamento no site:
https://www.e-paragrafo.com.br/blog
.
A Amazônia é um mundo místico e desconhecido, lar de inúmeras criaturas hostis e — dizem — sobrenaturais. Durante séculos, histórias foram contadas sobre cobras gigantes que habitam o fundo dos rios, animais selvagens que espreitam da escuridão da selva, entidades não humanas que assombram os moradores das aldeias e vilas. Figuras lendárias como Saci, Matinta Pereira, Mapinguari, Sereias e Muiraquitã estão presentes no imaginário e nos pesadelos daqueles que vivem embrenhados nesse universo.
.
A antologia TERROR NA AMAZÔNIA, organizada pelo escritor e editor Girotto Brito, busca contos (inéditos!) sobrenaturais, de terror, horror cósmico e suspense, que sejam ambientados na Amazônia e/ou narrem as lendas amazônicas em suas versões mais sinistras e amedrontadoras.

 

[Uma reportagem de Baleia, a cadela]

Oficina de Leitura e Escrita Criativa – Com Mayara La-Rocque

 

Nesta primeira semana do mês de junho do ano da (des)graça de doismilledezenove, a poeta e educadora Mayara La-Rocque inicia mais uma oficina voltada para uma busca/aprendizado de produções de textos literários, poéticos e patéticos (no bom e velho sentido grego). A oficina será de segunda a sexta, na parte mais aperreada da tarde. O local? A ilustríssima Casa da Linguagem, localizada na boca desdentada da avenida nazaré, é bem na esquina: ao lado da Praça da República e de fronte para uma das sobreviventes do clã Y. Yamada.

Sobre a bendita oficina (o imbróglio em si), Mayara falou (bem floreado) assim:

A Oficina de Leitura e Escrita Criativa é um laboratório que intenta mediar percursos sensíveis de leitura e diálogo acerca da linguagem e das potencialidades de manejo com a palavra poética. Com caráter de experimentação, imersão, rascunho, esboço e diário, a oficina tem como intuito provocar/pesquisar o lugar afetivo e poético de cada participante como um processo de criação onde cada um será impelido a encontrar os caminhos de sua própria escrita e autoexpressão, em consonância com as dinâmicas e vivências trocadas em grupo.

Participem, divulguem, comentem!

Espero vocês por lá! (sentado…no chão, é claro; do jeito que aqueles bancos de madeira me molestam a bunda…bem, pelo menos o jardinzinho e o coreto-anão residentes na Casa da Linguagem são bem simpáticos, sim, ao menos isto…)

Mayara La-Rocque é escritora, formada em Letras com habilitação em língua francesa pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Colaborou com a revista literária KamikASES, participou da Antologia Literária do III prêmio PROEX de Literatura da UFPA e, em 2015, ganhou a 4ª edição do mesmo prêmio, na categoria contos. Em 2016, produziu o livro artesanal “Atravessa a tua viagem” e, em 2017, publicou a plaquete literária “Uma luminária pensa no céu”, pela Editora Escriba. Atualmente, ministra cursos voltados para criação e produção literária.

Baleia, a cadela